Dos nossos pequenos luxos: Mijar e cagar

Gênero à Deriva

[Aviso de conteúdo: esse texto usa termos potencialmente desconfortáveis para se referir a pessoas trans* como recurso irônico].

De Salvador a São Paulo, mulheres trans* distintas sofrem constrangimentos similares quando tentam usar banheiros públicos.

Qual a relação da travesti que tenta usar o banheiro no Shopping Barra, em Salvador, e as mulheres trans* que fazem o mesmo no Shopping Center 3 em São Paulo? A transfobia descarada que previne que possamos fazer nossas necessidades básicas e nos retira da categoria de humanos.

O(s) banheiro(s) segue como dispositivo normalizador de gênero, lócus da reificação do(s) gênero(s), reprodutor da aura que determina os gêneros binários como rígidos opostos e incompatíveis. A polícia dos gêneros normais, que fiscaliza nossos genitais e condutas, opera prontamente quando chamada pelos ‘cidadãos de bem’ preocupados com o bem-estar da criança inexistente.

Os seguranças, como sempre, servem ao(s) grupo(s) dominantes – às pessoas cisgêneras pagadoras de impostos e…

Ver o post original 333 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s