Infância, negações, salto alto e cissexismo: uma conversa sobre possibilidades de corpos, uma conversa sobre visibilidade trans*

não consigo esconder a felicidade ao ler estas análises que dizem tanto sobre mim… ❤

o grito da bicha

Hoje, dia 29-01, é dia da visibilidade trans*, e durante toda essa semana estará acontecendo uma blogagem coletiva organizada pelo Transfeminismo, juntamente com as Blogueiras Feministas, Blogueiras Negras e True Love. E esse texto faz parte dessa blogagem, uma pequena contribuição para essa semana tão importante para as pessoas trans*.


Quando criança eu gostava de andar com os sapatos da minha mãe, inclusive seus chinelos, que sempre foram de cores mais claras que os meus. Eu também tinha uma curiosidade imensa em relação ao corpo da minha mãe, eu gostava de vê-la se vestindo, gostava de tocar seus sutiãs e lembro que algumas poucas vezes eu me vi diante do espelho experimentando o enorme sutiã dela.

Eu fui uma criança chamada de fresca, mimada, sensível, a criança bichinha. Eu nunca gostei de coisas consideradas masculinas, como por exemplo, praticar esportes, brincar com alguma bola na rua com…

Ver o post original 1.484 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s